segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pelos caminhos de Portugal...

...eu andava com saudades de MOMENTOS! Não que qualquer momento que passe com :) não seja um MOMENTO mas precisava(mos) de sair de Lisboa, de fazer km, de descobrir o para nós desconhecido.

Alinhados os astros e todas as entidades divinas que controlam o destino (LOL) partimos até ao interior beirão (apresento, desde já, as minhas desculpas aos habitantes da zona alvo de exploração por não ter estabelecido contacto mas íamos tão só à procura daqueles MOMENTOS). O objectivo de sair bem cedo de Lisboa, obviamente, não se cumpriu...apesar das excelentes intenções! Agarrámo-nos à estrada que nos conduzia até Castelo Branco para depois acalmarmos a nossa fome em Valhelhas(?, estranho nome...) no magnífico Vallécula! Tão magnífico que depois de tão faustosa refeição os 300 km até então percorridos ficaram esquecidos...tão magnífico que apesar de estar numa aldeia perdida no meio da serra consegue estar sempre esgotado, tão magnífico que figura nas diversas publicações de Viagens e Evasões ao lado de grandes nomes do nosso turismo. Extremamente acolhedor, comida com uma confecção extraordinária...fazia outros 300 km agora mesmo :)!

Adivinhando-se um entardecer solarengo prosseguimos viagem até às Penhas Douradas, onde nos esperava uma agradável surpresa...o site e as fotografias que enco
ntrei na internet não fazem jus ao que verdadeiramente é a CASA DAS PENHAS DOURADAS. Um achado no meio da Serra, rodeada pelo branco da neve parece uma casa de livro de estórias (ou histórias?...hmmm). São inúmeros os recantos que nos convidam a um "estar" mais prolongado, são inúmeros os livros que conseguem tornar esse "estar" ainda mais agradável! Grandes janelas mostram o alvo exterior e impõem a contemplação...e de
pois há a piscina...aquecida e interior...com um "senão"...crianças com menos de 4 anos não deviam ser permitidas dentro de água...nada contra os "piquenos" entenda-se...mas há coisas que os minúsculos seres ainda não conseguem controlar...e dentro de água.
..pois...além de que o espaço em causa combina com tudo menos com gargalhadas sonoras (para não mencionar os gritos normais de alegria) de petizes em perfeito estado de êxtase, senão vejamos: piscina iluminada, aquecida, velas na área em redor, janela gigante para o exterior...hmmm...pois :p!!! Não combina, certo? :) (e não sou nada contra os miúdos!!!).
Depois de um retemperado banho de chuveiro hora para jantar...bela apresentação mas aí também com um pequeno defeito...o menu é imposto, assim como o preço deste. Já que ali à volta não há nada num raio de 15km em estradas de curva-contracurva poucas hipóteses restam...ou melhor, NENHUMA...mas pronto, foi um mal menor no meio de um serviço fantástico!

Acordar, abrir a janela, sentir o frio do vento...num cenário BRANCO :) Foi maravilhoso!
Depois de inúmeras fotografias no meio da neve, a simular um nevão partimos até Piódão...e aí sim...foi custoso...a estrada nunnnnnnnnnca mais acaba! Vale a pena sim...para ver como se consegue preservar aquilo que Portugal tem de bonito!







Subimos e descemos as ruínhas de pedra...e depois de por ali caminharmos achámos...é hora de regressar...!!

3 comentários:

R. disse...

Que bom!!!!

Adoro neve......

ines disse...

Ai que passeio maravilhoso!

A minha irmã também já esteve na Casa das Penhas Douradas e também adorou...
Que pena a cena das criancinhas... Tens toda a razão, piscina interior romântica em local idílico não rima com criancinhas, muito menos em modo ruidoso e ruinoso!

John disse...

Belo relato! Grande roteiro!